Brook Preloader

[EXPOSITORA MOSTRA BID BRASIL] Helibras entrega 11ª aeronave H-225M para a Marinha

[EXPOSITORA MOSTRA BID BRASIL] Helibras entrega 11ª aeronave H-225M para a Marinha

A Marinha do Brasil recebeu hoje (29), da empresa Helibras, a décima primeira aeronave H-225M dentro do escopo do Projeto H-XBR. O Setor do Material, por intermédio da Diretoria de Aeronáutica da Marinha, entregou a aeronave para o Setor Operativo.

A aeronave recebeu o indicativo visual N-7108 e é a oitava da versão UH-15 “Super Cougar” a ser incorporada ao acervo da aviação naval, sendo utilizada em missões de emprego geral, SAR diurno e noturno e em apoio às Operações Anfíbias e Operações Especiais.

Caracal

O Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1°/8° GAV – Esquadrão Falcão), sediado em Parnamirim (RN), realizou, no final do mês de abril, uma palestra comemorativa alusiva aos dez anos de implantação da aeronave H-36 Caracal na Força Aérea Brasileira (FAB). O Esquadrão utiliza a aeronave desenvolvida pela Helibras, em múltiplas missões de emprego, em especial em missões de Busca e Salvamento, como o resgate em convés realizado no dia 17 de abril.

Durante a palestra, o Comandante do 1º/8º GAV, Tenente-Coronel Aviador Wankley Lima de Oliveira, apresentou a trajetória de implantação e operação do H-36 Caracal. “Essa aeronave possui equipamentos embarcados que possibilitam o desenvolvimento de novas doutrinas de emprego, de forma a capacitar os operadores no cumprimento de missões até então inéditas para as Forças Armadas brasileiras, como é o caso das missões de reabastecimento de helicópteros em voo e das missões de resgate em alto-mar”, explicou o Tenente-Coronel Wankley.

Implantação do H-36 Caracal

O Esquadrão Falcão operou a aeronave H-1H Iroquois até 2011, quando recebeu oito aeronaves H-36 Caracal como parte do Projeto HX-BR, que previu a aquisição de 50 aeronaves e a transferência de tecnologia para o Brasil. “A implantação do novo projeto foi a primeira experiência de aquisição conjunta de sistemas de defesa para uso das três Forças Armadas. Essa atuação conjunta se estendeu também para o suporte logístico, tornando-se uma oportunidade ímpar para o desenvolvimento dos conceitos de interoperabilidade nas áreas de logística e de operações”, explicou o Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar José Virgílio Guedes de Avellar.